terça-feira, 19 de setembro de 2017

EXPOSIÇÃO EM JOÃO PESSOA/2017




No próximo dia 29 de setembro, será aberta, em João Pessoa, a 32ª Exposição Paraibana de Orquídeas. A mostra terá lugar no Tambiá Shopping e se estende até 1º de outubro. A realização é da Associação Paraibana de Orquidófilos (APO). Segue-se a programação:


Sexta-feira – 29/09:
Recebimento das plantas – de 7:30: às 12:00h
Visitação – de 12:00h às 20:00h
Palestra de Amália P. Ramalho, de João Pessoa/PB, sobre “O gênero Bulbophyllum” – 15:00h


Sábado – 30/09:
Visitação – de 7:30h às 20:00h
Palestra de Izael Lira, de Natal/RN, sobre “Cattleya granulosa” – 10:00h
Palestra de Erton M. Almeida, de Areia/PB, sobre “Alteração de nomenclatura das orquídeas” – 14:30h
Palestra de Vera Coelho, de Fortaleza/CE, sobre “Adenium” – 16:00h


Domingo – 1º/10:
Visitação – de 7:30h às 18:00h
Oficina de plantio, ministrada por Gerson P. Reis, de Natal/RN – 10:00h
Encerramento – 18:00h


O post Setembro se encerra com exposição em João Pessoa apareceu primeiro em Orquidofilos.com.


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

ORQUÍDEAS SAPATINHO DE PRINCESA



Foto 1
Cypripedium reginae walt


Foto 2
Cypripedium acaule Foto de A.L. Gibson

Foto 3
Clump of small white lady’s slippers (Cypripedium candidum) 
Foto de A. L. Gibson

Foto 4
Andrew’s lady’s slipper (C. x andrewsii) Foto de A. L. Gibson

Foto 5
Cypripedium parviflorum var. pubescens 

Foto de A.L. GibsonCypripedium montanum Douglas ex Lindley. 
Mountain lady’s-slipper Photograph © Paige Woodward



Paphiopedilum concolor “Paphiopedilum concolor Orchi 01” por Orchi – 
Fotografia própria. Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons – http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Paphiopedilum_concolor_Orchi_01.jpg#mediaviewer/File:P



 .
“Paphiopedilum insigne Orchi 01” por Orchi – Fotografia própria. 
Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons – 

Paphiopedilum, nomes populares são vários: Sapatinho, Queixuda, Sapatinho-de-Dama, Sapatinho-de-Princesa e Sapatinho-de-Nossa Senhora. 

A flor mais rara do Reino Unido conta com a proteção de guarda-costas em tempo integral quando exposta no Festival de Flores de Chelsea, na região metropolitana de Londres.

As orquídeas sapatinho-de-dama (“Lady’s Slipper”, em inglês) foram salvas da extinção por cientistas e são protegidas por rígidas leis ambientais.

As flores vão fazer parte da exibição Le Jardin de Yorkshire, realizada pelo órgão de turismo Welcome to Yorkshire.

Um grupo de especialistas em botânica, o Comitê Cypripedium (em alusão ao gênero botânico pertencente à família das orquídeas da qual a flor faz parte), trabalhará como voluntário para cuidar e proteger a planta.

Autoridades ainda discutem, no entanto, os detalhes finais do esquema de segurança durante o evento, que está comemorando sua centésima edição.

“Quando você tem a mais rara orquídea do Reino Unido no seu jardim, você deve ter cuidado para protegê-la. É por essa razão que estamos ainda analisando qual vai ser o esquema de segurança mais adequado”, disse Gary Verity, responsável pelo evento.

“Estou certo de que milhares de pessoas virão ver essa rara espécie e aprender mais sobre o seu bem sucedido programa de conservação.”
Extinção

Especialistas acreditavam que a orquídea sapatinho-de-dama estava extinta, mas, em 1930, exemplares da espécie foram encontrados por acaso em Yorkshire.

O sul-africano Michael Tibbs, especialista em orquídeas, disse que guarda segredo sobre o local onde a planta foi achada.

“Apenas poucas pessoas sabem”, disse ele. “É uma planta extremamente rara e muitos tentaram mantê-la longe dos olhos do público por muitos anos”.

Um único exemplar da orquídea sapatinho-de-dama pode chegar a custar cerca de 5 mil libras (R$ 15 mil).

As Paphiopedilum são orquídeas famosas pelas formas interessantes de suas flores que se assemelham a uma taça.

Nome Popular: Sapatinho, orquídea-sapatinho, sapatinho-de-dama
Nome Científico:Paphiopedilum sp
Família: Orchidaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Ásia Tropical
Ciclo de Vida: Perene

Gênero: Paphiopedilum

Pertencente á família das Orquidáceas a Paphiopedilum insigne é originária da Ásia, Índia e Nepal. Ao contrário dos outros gêneros de orquídeas, as vulgarmente chamadas orquídeas sapatinho não necessitam de muito adubo para se desenvolverem.

As orquídeas sapatinho não possuem pseudobulbos como a maioria, por isso, não resistem nem á falta de água nem ao excesso.

Pode-se usar como substrato cascas de pinheiro ou fibras de coco misturados com carvão vegetal já que esse material possibilita a ventilação das raízes e retém pouca água . Além disso, um pouco de terra misturada (desde que não seja muita) bem misturada com os outros substratos, num vaso com bastante furos para ventilar, assim ela poderá resistir um pouco mais a falta de água acidentalmente.

Este gênero de orquídea não é muito difícil de cultivar, os principais problemas que se poderá ter são a rega excessiva e talvez problemas com fungos, há que ter cuidado com manchas escuras nas folhas. Nesse caso retire as folhas afetadas e pulverize a planta com um fungicida.

Ideal para:
Ser cultivada em vasos, em árvores ou até mesmo sobre rochas.

Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Cypripedioideae
Género: Paphiopedilum
Pfitzer 1886


Híbridos naturais:
Paphiopedilum × affine ( P. appletonianum × P. villosum)
Paphiopedilum × areeanum(P. barbigerum × P. villosum var. annamense)
Paphiopedilum × burbidgei (P. dayanum × P. javanicum var. virens)
Paphiopedilum × dalatense (P. callosum × P. villosum var. annamense)
Paphiopedilum × dixlerianum (P. callosum × P. wardii)
Paphiopedilum × expansum ( P. hennisianum × P. philippinense)
Paphiopedilum × fanaticum (P. malipoense × P. micranthum)
Paphiopedilum × frankeanum (P. superbiens × P. tonsum)
Paphiopedilum × grussianum (P. dianthum × P. hirsutissimum var. esquirolei)
Paphiopedilum × herrmannii (P. helenae × P. hirsutissimum var. esquirolei)
Paphiopedilum × kimballianum (P. dayanum × P. rothschildianum)
Paphiopedilum × littleanum (P. dayanum × P. lawrenceanum)
Paphiopedilum × mattesii (P. barbatum × P. bullenianum)
Paphiopedilum × Pereirae (P. exul × P. niveum)
Paphiopedilum × Petchleungianum (P. dianthum × P. villosum)
Paphiopedilum × Powellii (P. callosum × P. exul)
Paphiopedilum × Pradhanii (P. fairrieanum × P. venustum)
Paphiopedilum × shipwayae (P. dayanum × P. hookerae)
Paphiopedilum × siamense (P. appletonianum × P. callosum)
Paphiopedilum × spicerovenustum (P. spiceranum × P. venustum)
Paphiopedilum × venustoinsigne (P. insigne × P. venustum)
Paphiopedilum × vietenryanum (P. gratrixianum × P. henryanum)

Fontes : http://plantasonya.blogspot.com.br/2009/07/orquidea-sapatinho.html

http://blogdoeduambiental.blogspot.com.br/2013/09/orquideas-sapatinho-de-dama.html

http://floraofohio.blogspot.com.br/2013/05/hybrid-orchids-at-castalia-prairie.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Paphiopedilum

Foto 1Cypripedium reginae. By John Lynch. Copyright © 2015 New England Wild Flower Society. For Reuse: 
ContactPhotograph © Paige Woodward Cypripedium parviflorum var. pubescens


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

BULBOPHYLLUM




Bulbophyllum echinolabium
Por www.larsen-twins.dk, Attribution, 
https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=168830


Bulbophyllum, em português Bulbófilo, um gênero botânico pertencente à família das orquídeas. É o mais vasto e um dos mais complexos gêneros dentre as orquídeas, com cerca de duas mil espécies bastante diversas distribuídas pelos trópicos de todos os continentes com predominância nos sudestes da África e Ásia. Somente na Nova Guiné ocorrem mais de quinhentas espécies.


A foto do post, é um exemplar bem interessante.


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Orquídeas da Primavera-2017, nas imagens de Carlos Keller








O paisagista carioca Carlos Keller, amante e grande conhecedor das orquídeas, viu e fotografou a exposição “Orquídeas da Primavera”, realizada, pela OrquidaRio, nos dias 1º, 2 e 3 do corrente mês de setembro. A nova edição do evento reuniu cultivadores e orquidários comerciais, que levaram ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro suas mais belas flores, para encanto dos milhares de visitantes. Keller buscou o ângulo perfeito, para cada orquídea enquadrada por sua câmera, e produziu imagens magníficas, que realçam cores, formatos e texturas. Segue-se uma pequena mostra do que ele colheu, ao percorrer as alamedas do orquidário daquele parque botânico, onde se realizou a exposição.


VEJA MAIS FOTOS AQUI.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

CATTLEYA GRANULOSA

Cattleya granulosa
Por Dalton Holland Baptista - Obra do próprio, CC BY-SA 3.0, 
https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=5093771

Cattleya Granulosa, é uma espécie de orquídea nativa da região nordeste, sua distribuição se estende nos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e o estado da Bahia.

A planta em geral, é de médio a grande porte, indo de 30 Cm e podendo chegar a 1,20 metros de altura com duas as três folhas por pseudobulbos, podendo portar de 1 a 20 flores, com cerca de 12 centímetros.

Seu cultivo é de média experiência, apreciando muita luminosidade( em algumas regiões como no RN, as plantas vegetam em sol Pleno)

Variedades quanto ao colorido da flor:

Quando vamos classificar uma variedade de Cattleya granulosa é importante observar a maior predominância do colorido em seus elementos florais, pétalas,sépelas e labelo.

Exemplo: Quando vamos classificar uma variedade aurea oque vai caracterizar sua variação é a maior predominância de amarelo nas pétalas e sépalas.

Alba: Pétalas e sépalas inteiramente verdes, sem máculas, e labelo branco. (podendo ou não haver amarelo no centro)

Albescens: Pétalas e sépalas verde, e labelo inteiramente branco (ou com sopro quase imperceptível).

Semi-alba: Pétalas e sépalas de colorido verde, e labelo entre rosa ou lilas.

Coerulea: Pétalas e sépalas com ou sem maculas, e labelo em tom azulado.

Rubra: Pétalas e sépalas vermelhas com ou sem maculas, e labelo variando do rosa ao carmesim

Vinicolor: Pétalas e sépalas de cor vinho, labelo variando do rosa ao vinho

Aurea: Pétalas e sépalas amarelas, e labelo de colorido variado do rosa ao vermelho.

Marginata: Pétalas e sépalas de qualquer cor com união das maculas nas margens das pétalas, labelo rosa ou lilas

Pelorica: pétalas de colorido imitando o labelo.

Variedades quanto a forma da flor:

Trilabelo: Pétalas idênticas ao labelo.

Glossário:

Alba:Significado do latim, branca, alva, do religioso pura

Albescens: (lat albescente), que branqueja, esbranquecendo, tornando-se branco

Semi-alba: quase branco

Coerulea: azul da cor do céu, tom azulado

Rubra:vermelho rubro, vermelho sangue

Vinicolo:vermelho vinho

Aurea: amarelo

Marginata: margem

Macula:Significado do latim, mancha ou nodoa em um corpo branco, do religioso mancha, impura.

Pelorica: seria uma coloração imitando a cor do labelo, Bot. Da, ou relativo à peloria. forma pelórica; variedade pelórica.

Trilabelo: três labelo idênticos

FONTE: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cattleya_granulosa

sábado, 2 de setembro de 2017

Orquídea Negra Fredclarkeara After Dark "SVO Black Pearl" FCC/AOS - Cor Natural



                                                                    Foto: Orquistudio

Fredclarkeara After Dark é um novo tipo de híbrido formado a partir de 3 espécies: Clowesia, Mormodes e Catasetum.

Produz flores de excelente forma, qualidade, simetria, quantidade e uma perfeita cor negra intensa, que podem alcançar mais de 6 semanas em perfeito estado e exalandoi agradável perfume.

É uma planta caduca, isso é, perde as folhas em um determinado período do ano, ficando apenas com os pseudobulbos em exibição, o que em conjuto com as hastes florais causa um surpreendente impacto.

fonte: https://www.jardimexotico.com.br/orquida-negra-fredclarkeara-after-dark-svo-black-pearl-fccaos-cor-natural

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Caladenia melanema (Orquídea bailarina)





                                                                 Fonte: 500px.com

Foto encontrada em: http://orquideas.blog.br/orquidea-bailarina-caladenia-melanema/

Tipo de orquídea da família Orchidaceae, a orquídea bailarina cujo o nome científico é Caladenia melanema cresce sozinha ou em grupos por toda parte do continente Australiano.

Com característica de orquídea terrestre de uma única folha basal pubescente, suas flores são principalmente creme na sua cor, com partes marrons, e as suas pétalas e sépalas têm trichromes escuros.

Outra coisa que chama atenção na planta é sua aparência de uma jovem em pose de bailarina que acaba encantando a todos.

Um fato que acaba sendo preocupante é que na região onde estas maravilhas crescem é o pastoreio de coelhos e cangurus os quais tornam-se uma grande ameaça para este tipo de orquídeas.

Consideramos a orquídea bailarina como uma das espécies raras e sua floração geralmente ocorre entre os meses de Agosto a Setembro e é oriunda de uma única população próxima do lago Altham na região biogeográfica de Mallee .


Fonte: https://tiposdeorquideas.com/orquidea-bailarina/
http://orquideas.blog.br/orquidea-bailarina-caladenia-melanema/




EXPOSIÇÃO EM JOÃO PESSOA/2017

No próximo dia 29 de setembro, será aberta, em João Pessoa, a 32ª Exposição Paraibana de Orquídeas. A mostra terá lugar no Tambiá Shoppin...